Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 16 DE JULHO DE 2018

Email
HOME
QUEM SOMOS
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  16/07/2018   Uma usina de R$ 25 bilhões: Angra 3 é o nosso desastre nuclear - Concluir as obras da usina nuclear, reiniciadas por Lula, vai custar bil...     16/07/2018   Trânsito será desviado a partir desta quarta-feira (18) na BR 116 - Os motoristas que trafegarem pela BR 116, Km 482, em Turuçu, deverão ...     16/07/2018   DNIT/MT apresenta anteprojeto do contorno norte de Cuiabá e Várzea Grande à prefeita Lucimar Campos - A Superintendência Regional do Depa...     16/07/2018   CCR AutoBAn entrega doações da Campanha do Agasalho ao Fundo Social de Solidariedade de Sumaré - A CCR AutoBAn, por meio do Instituto CCR...     16/07/2018   Vídeo traz os principais destaques de competição mundial entre mecânicos de caminhões e ônibus - Vídeo mostra os destaques do VISTA, maio...     16/07/2018   Santa Catarina é o único Estado do Sul 100% coberto por fibra ótica - Paraná tem 99,7% das cidades atendidas, bem à frente do Rio Grande ...     16/07/2018   Rota das Bandeiras faz Operação Especial para passagem de carga na D. Pedro I (SP-065), em Atibaia - Rodovia será interditada na madrugad...     16/07/2018   Apoiado pela CCR NovaDutra, Instituto Dagaz está com matrículas abertas em Volta Redonda, no Sul Fluminense - ONG oferece aulas gratuitas...     16/07/2018   CCR MSVia informa os pontos de pare-e-siga na BR-163/MS - A CCR MSVia informa quais são os pontos da BR-163/MS onde acontecem operações d...     16/07/2018   CDRJ participa da Rede ReciclaPorto para desenvolver ações sustentáveis - A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) acaba de formalizar ...  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

11/03/2018

Pesquisa de estudante de Engenharia analisa pavimento do Porto

Logística

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

?

0 votos

Estudar alternativas mais eficientes para a pavimentação de regiões em que há conflitos rodoferroviários foi o objetivo do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de um engenheiro civil recém-formado pela Universidade Católica de Santos (UniSantos), no ano passado. A pesquisa apontou que a utilização de placas de borracha em trechos da malha férrea do Porto de Santos, apesar mais cara, é mais vantajosa porque tem uma durabilidade maior.

Fábio de Freitas Ravenna foi orientado pela professora Márcia Aps, coordenadora do curso de Engenharia Civil da universidade. O então aluno da UniSantos decidiu, no ano passado, estudar o tema.

Funcionário de uma concessionária ferroviária, o engenheiro vê, na prática, o desgaste do pavimento em locais onde há conflito rodoferroviário – pontualmente nas passagens de nível, onde a linha férrea cruza a malha rodoviária.

“A pavimentação se degrada muito rápido. Então a manutenção dura em torno de um ano, é um tempo muito rápido. O objetivo da pesquisa foi procurar alternativas para diminuir o tempo de manutenção, aumentando a vida útil desse tipo de pavimento”, destacou o hoje engenheiro.

E este não é o único problema, segundo Fábio. “A Guarda Portuária, do Porto de Santos, registrou no final de semana dos dias 20 e 21 de maio de 2017, 10 acidentes envolvendo motocicletas na Passagem de nível (PN) do Concais (empresa que administra o Terminal de Passageiros do Porto de Santos), devido à deterioração da pavimentação asfáltica, inclusive com vítimas feridas gravemente”, A partir deste problema, o autor da pesquisa decidiu avaliar os três tipos de pavimento mais utilizados e os reflexos, caso fossem utilizados no Porto de Santos. Para isso, ele entrou em contato com fabricantes e avaliou, no complexo marítimo, a durabilidade dessas estruturas.

Entre os materiais analisados estão o pavimento asfáltico, os pré-moldados de concreto e as placas de borracha. “Como eu trabalho no
meio ferroviário e tenho experiência no setor de vias permanentes, consegui informações bem rapidamente. As empresas também
forneceram dados em relação aos produtos”, explicou.

Na cotação de valores, Fábio constatou que o pavimento asfáltico custa, em média, 150 o metro quadrado. No entanto, apesar do baixo
custo, a vida-útil do material é de um a dois anos, diante do grande tráfego na região portuária.

“O grande problema é que, devido à falta de espaço entre os trilhos, normalmente os projetos são executados com fixações rígidas para prender os contra trilhos e os guarda-trilhos. Porém com o tempo, essa fixações afrouxam, causando uma degradação mais rápida do pavimento asfáltico. Um pavimento em estado de conservação inadequado pode provocar redução de velocidade nos veículos e até paradas indevidas sobre a via férrea, podendo causar um abalroamento”, destacou o engenheiro em sua pesquisa.

Alternativas

Segundo Fábio, o pré-moldado de concreto custa de duas a três vezes mais do que o pavimento asfáltico. Este pavimento é mais eficaz mas, mesmo assim, como não tem flexibilidade, frequentemente aparecem fissuras nas bordas.

De acordo com a pesquisa, esta segunda opção é um sistema composto por placas de concreto armado, pré-moldadas, que são instaladas entre os trilhos e nas laterais, podendo ser removidas ondividualmente para substituição ou manutenção. As placas internas são apoiadas sobre os dormentes e fixadas a eles por quatro parafusos. As placas externas são apoiadas de um lado sobre os dormentes e, do outro, sobre uma base de concreto nivelada.

Por fim, o engenheiro avaliou a eficácia da utilização de placas de borracha. Neste caso, o valor gira em torno de R$ 2,5 mil o metro
quadrado.

“A vida útil indicada e comprovada pelo fabricante é de 15 anos. Assim, ao longo prazo, se torna viável a utilização das placas de borracha”, explicou o engenheiro. Ele ainda cita, como fatores que reforçam a escolha das placas de borracha, características e impactos “que não são mensuráveis, como o aumento da segurança, baixa necessidade de manutenção e melhoria da imagem da companhia ferroviária perante a comunidade. Portanto, as placas de borracha se mostram uma alternativa de uso ao pavimento asfáltico em passagens de níveis, pois é um piso de alto desempenho e seguro para todos os usuários”.

Engenheiro quer ampliar avaliação O engenheiro Fábio de Freitas Ravenna pretende continuar a pesquisa iniciada em seu trabalho de conclusão de curso. A ideia é iniciar, neste ano, testes com vários tipos de pavimento. O plano conta com o apoio da professora Márcia Aps, que orientou o estudo acadêmico inicial.

“A gente vai continuar e pode até desenvolver um trabalho de Mestrado para que ele execute. A gente quer desenvolver materiais que durem mais”, destacou Márcia Aps. “O estudo de viabilidade deu uma resposta muito boa. Então, a nossa ideia é, agora, ver isso na
prática”.

De acordo com Fábio, a ideia é construir, dentro de um armazém da concessionária ferroviária, três trechos experimentais de linhas férreas. E neles, comparar a durabilidade dos materiais selecionados. Seria uma área de testes, onde seria possível simular a utilização desses materiais.

Para Márcia, o cenário ideal é avaliar, na segunda etapa dos trabalhos, quatro tipos de pavimento. “A gente poderia comparar o pavimento asfáltico, o pavimento de concreto, de cimento, o pavimento de peças pré-moldadas e de borracha”.

“As empresas forneceram da dos em relação aos produtos. Agora, a gente queria muito fazer um protótipo para testar algum trecho. A nossa ideia é ainda tentar fazer durante este ano, comparando as possibilidades de utilização”, explicou o engenheiro civil.

Para Fábio, o estudo de novas técnicas e materiais para utilização no pavimento do sistema viário do Porto de Santos deve ser considerado, uma vez que a atual utilização de concreto asfáltico nas vias férreas apresenta uma rápida deterioração.

Segundo o engenheiro, a equipe da Universidade Tecnológica de Michigan, nos Estados Unidos, elaborou uma pesquisa para analisar o desempenho de cada tipo pavimentação de passagens de nível. O projeto foi elaborado em 2013. Mas a conclusão foi de que não existe uma resposta clara à pergunta de qual o melhor tipo de revestimento. Isto porque alguns fatores são levados em conta, entre eles a drenagem e o tipo de veículos que trafegam pelo local.

“O estudo relatou os fatores que poderiam afetar o tempo de vida do material, notando que o mais importante seria a drenagem e, em seguida, as cargas de tráfego. Apesar de todos esses fatores que afetam o tempo de vida, o estudo realizado pela administração rodoviária federal de Michigan descobriu que a maioria dos problemas com a superfície se relacionam com a preparação do local e a instalação da pavimentação”, destacou Fábio Ravenna em seu trabalho de conclusão de curso.

Fonte: A Tribuna

 

Por A Tribuna

 

Qual a sua avaliação?

0 Comentários - Faça o seu comentário

Voltar

Compartilhar

Clique para ampliar

Leia Também

DNIT/MT apresenta anteprojeto do contorno norte de Cuiabá e Várzea Grande à prefeita Lucimar Campos

Rota das Bandeiras faz Operação Especial para passagem de carga na D. Pedro I (SP-065), em Atibaia

CCR MSVia informa os pontos de pare-e-siga na BR-163/MS

RGE e RGE Sul realizam 31.550 inspeções na rede elétrica no primeiro semestre

Pegaki oferece logística para e-commerce e conveniência para consumidor

Uma usina de R$ 25 bilhões: Angra 3 é o nosso desastre nuclear

Trânsito será desviado a partir desta quarta-feira (18) na BR 116

CCR AutoBAn entrega doações da Campanha do Agasalho ao Fundo Social de Solidariedade de Sumaré

Vídeo traz os principais destaques de competição mundial entre mecânicos de caminhões e ônibus

Santa Catarina é o único Estado do Sul 100% coberto por fibra ótica

Mais...

 

Este site possui suporte ao formato RSS



Notícias em Tempo Real

   

Google
Pesquisa personalizada

       

 Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

Intelog - Inteligência em Gestão Logística